Uma imensa seringueia dentro de um balneário em Bonito, Matogrosso do Sul, deu origem ao nome da atrativa Praia da Figueira.
Ela possui uma imensa lagoa de águas cristalinas (60 mil m2) onde o visitante pode nadar, mergulhar, jogar biribol, praticar caiaque, tirolesa, pedalinho, jogar vôlei de areia e frescobol. O espaço é cercado de muito verde e tem ótima infra-estrutura.

Aqui, o destaque fica para a figueira (ou falsa-seringueira – Ficus elastica), com 25 anos de idade, que foi cuidadosamente conduzida para formar uma grande área sombreada sob a sua imensa copa, abrigando um redário onde todos podem descansar.


A figueira (Ficus elastica), também é conhecida como falsa-seringueira, tem raizes agressivas além das raizes aéreas que invadem o espaço a sua volta. Ela é originária da Ásia (mais especificamente da Índia, Malásia e Indonésia), mas é popularmente conhecida no Brasil como ficus italiano, devido ao fato das primeiras mudas a chegarem no pais terem sido trazidas da Itália, onde a espécie era muito usada em vasos para a decoração de interiores.


A árvore cresce melhor nas regiões com boa insolação, embora resista bem à sombra. Seus frutos são minúsculos figos esféricos, mas como a polinização de suas flores depende de uma vespa específica que evoluiu junto com a planta, fora de seu habitat nativo os frutos são muito raros e a reprodução da planta geralmente ocorre pelo enraizamento de estaquia.
A falsa-seringueira não deve ser plantada no meio urbano devido a agressividade de suas raízes e o tamanho desproporcional.
Neste caso, o local adequado, as podas bem realizadas e a colocação de tutores para os galhos, proporcionaram o aumento da sua copa, transformando essa árvore numa bela escultura!

Comments are closed.