Independente de saber se você é um morador urbano, suburbano ou rural, deve haver um pedaço de terra negligenciada no seu bairro que pode precisar de um pouco de cuidados para verdejar. Se você consegue ver um potencial para o crescimento de alguma planta escondido entre as rachaduras da calçada, enquanto os outros veem decadência e abandono, bem, então, você pode ser um jardineiro de guerrilha sem nem sequer saber disso.


A jardinagem de guerrilha, (Guerrilha Garden) é um movimento de ativismo político que consiste em levar um pouco de verde às ruas, como forma de protesto contra a má preservação dos espaços públicos, bem como, os espaços privados negligenciados pelos seus donos. O plantio é feito sem permissão legal, os jardineiros de guerrilha agem como jardineiros altamente políticos visando provocar mudanças através de ação direta.
A origem deste movimento se deu em Nova York na década de 70, através de um grupo de ativistas urbanos liderado por Liz Christy, e inspirados pelos trabalhos desenvolvidos por Fukuoka. Os jardineiros de guerrilha lançavam em terrenos abandonados bombas de sementes, inicialmente feitas de balões cheios de sementes de tomates e fertilizantes, a fim de tornarem os bairros mais bonitos. Voltando a atenção para terrenos baldios, eles começaram a implantar hortas comunitárias, contando com diversas pessoas que doavam seu tempo, talento, ferramentas, insumos, transformando suas ações num grande movimento.


Os guerrilheiros verdes passaram a mobilizar outras pessoas para usarem a jardinagem comunitária como ferramenta para recuperar a terra urbana, estabilizar quarteirões da cidade, resolvendo assim parte dos problemas decorrentes dos diversos espaços abandonados.


O movimento se propagou, e hoje, a cidade de Nova York, conta com mais de 600 hortas comunitárias, onde crescem alimentos para as pessoas envolvidas e sua vizinhança, além de poderem conectar nestes espaços as crianças da cidade com o cultivo da terra.
E como em toda guerra, o armamento faz parte do contexto, no caso da Jardinagem de guerrilha, além de ferramentas próprias para o plantio, consta também em seu arsenal as bombas de sementes muito usadas para atingir resultados rápidos, principalmente em áreas de difícil acesso.
O movimento “Guerrilha Garden” popularizou o uso das SeedBombs que são vendidas em máquinas como aquelas de balas e bolinhas de silicone em muitas cidades dos EUA e Europa. Fabricadas pela empresa Greenald, as SeedBombs, são feitas de terra, composto de sementes em formato de bola para serem arremessadas. A medida em que a bola entra em contato com a terra, as sementes são espalhadas, aí é só esperar germinar.
A jardinagem de guerrilha, é um fenômeno que está varrendo o mundo através da mobilização de pessoas que encontram maneiras inovadoras de se unir, para a otimização de terras negligenciadas nos grandes centros urbanos. É uma guerra de territórios para alguns, um gesto poético para outros, mas de qualquer forma, as pessoas estão arregaçando as mangas, para criar jardins nos espaços mais improváveis.


Aqui no Brasil, já existem movimentos como o “Hortelões Urbanos” em São Paulo e a “Jardinagem Libertária” em Curitiba, que estão plantando ideias de cooperação social na revitalização de locais esquecidos pelo poder público entre outros, mostrando que podemos mudar nosso entorno, arregaçando as mangas e colocando literalmente as mãos na terra, para plantar a cidade que queremos viver.

Comments are closed.