Uma ÁRVORE merece festa, apoio, carinho, tratamento como se dá a uma mãe. Pelos filhos bem-aventurados, é claro… Isso porque nem todos os filhos podem ser considerados assim. Existe o que denominamos de uma inconsciência ecológica em muitas pessoas, aquela eco/alienação maldosa de destruir tudo o que está à sua volta. Diríamos que essa inconsciência é bem rasteira, do tipo que derruba árvores porque as folhas podem sujar a piscina ou porque as árvores derrubam folhas difíceis de limpar. Mas há aqueles que as defendem, que brigam se houver maus tratos!… Que fique testemunhada a revolta da população com os serviços prestados pelas concessionárias de energia elétrica, que a pretexto de liberação da fiação, acabam destruindo o pouco que resta da arborização urbana nas cidades.
Muitas vezes nem adiantam os argumentos técnico-científicos, no sentido de esclarecer que a árvore é absolutamente indispensável ao equilíbrio da vida natural do planeta, dos ecossistemas, enfim imprescindível para a nossa sobrevivência. É incrível como esses argumentos entram por um ouvido saem pelo outro, não penetram no raciocínio, na reflexão, na maturidade dessas pessoas, não as acordam para a necessidade de preservação…
Mas vamos sempre repetir, sempre falar, sempre gritar… É preciso que assim seja ou não teremos resultados com a urgência que o mundo necessita.