O Grande Buda Leshan, situado na montanha Lingyun, na China, constitui mais um precioso patrimônio histórico. O buda ergue-se numa encosta da montanha Lingyun na região onde os Rios Ming, Dadu e Qingyi correm um ao lado do outro. Segundo os registros, a construção do buda visava aproveitar a força sagrada budista para controlar as inundações desses rios. A obra foi projetada por 20 anos até obter os primeiros recursos. A construção do buda começou no ano de 713 e terminou 90 anos depois.
O Buda é tão grande que pode contemplar de longe de vários quilômetros. Sua cabeça mede 14,7 metros e sua largura 10 metros; a orelha possui 7 metros de altura, enquanto o de nariz e sobrancelhas, respectivamente, possuem 5,6 metros; os olhos medem 3,3 metros; os ombros, com 24 metros. O pé é de 8,5 metros de largura, onde podem ficar mais de cem pessoas de uma vez.


Além de sua grandeza, a escultura é uma obra nítida com traços muito vivos. Tecnologicamente, existe um sistema de drenagem de água na obra, bem projetado e invisível incrustado nos franzidos dos vestuários, em braços e costas, de modo a drenar águas oportunamente e facilitar a ventilação a fim de prevenir desgastes naturais.


Depois de sua construção, foi construído um quiosque de 13 pisos para o proteger. Porém, foi destruído numa guerra, deixando apenas alguns vestígios nas encostas e no corpo do buda.
Por mais de mil anos, o Grande Buda Leshan, sentado nas encostas e voltado para o Rio, vem testemunhando a evolução da natureza e da humanidade.
Em 1996, a motanha Emei e o Grande Buda Leshan foram incluídos na lista de patrimônios cultural e natural do mundo.
Perante este Grande Buda, ninguém pode deixar de admirar: o Buda é a montanha, a montanha é o Buda.

Comments are closed.