No coração da Bacia Tularosa no Novo México, USA, fica uma das grandes maravilhas naturais da terra, as dunas brancas de areia de gesso de White Sands com cerca de 175.000 acres de areia que formam um cenário diferenciado que atrai visitantes do mundo inteiro.
O deserto branco é uma imensa área de areia branca como a neve. Mas ao contrário de outro deserto, a areia aqui não é composta de quartzo, mas de cristais de gesso. Essa área é o maior depósito natural de gipsita (sulfato hidratado de cálcio cristalizado), que é um dos mais comuns compostos minerais encontrados na terra, mas raramente é encontrado na forma de areia. O gesso (gipsita ou gipso) é frequentemente encontrado em fontes termais, em lagos e no mar e pode ocorrer como depósitos quando a água evapora. E é precisamente assim que as dunas de gesso no White Sands se formaram.


A bacia Tularosa, onde White Sands está localizado, é uma bacia rasa rodeada pelas montanhas de San Andres e Sacramento. Há cerca de 100 milhões anos, a água da chuva e derretimento descia das montanhas dissolvendo o gesso das rochas sedimentares e as soluções concentradas foram lavadas para baixo as montanhas e acumuladas no lago Lucero na bacia Tularosa. A água foi evaporando e deixou para trás camadas de gesso cristalizado. O antigo lago Lucero é hoje uma cama seca, mas sua porção menor ocasionalmente se enche de água rasa após algumas chuvas.
O deserto White Sands cobre uma área de mais de 700 quilômetros quadrados, com dunas de até 15 metros. É o maior campo de dunas de gesso no mundo. As dunas vão mudando constantemente conforme são movidas pelos constantes ventos do sudoeste.
Ao contrário de outras areias do deserto, cristais de gesso não absorvem o calor dos raios de sol e são frios ao toque. Pode-se portanto facilmente andar na areia com os pés descalços, mesmo nos meses mais quentes de verão.


A primeira imagem geralmente associada a desertos é a de paisagens homogêneas com imensidões de areia a se perder de vista e pouquíssima ou nenhuma marca da fauna e flora.
Embora as condições ambientais não sejam das mais favoráveis em razão da escassez da água na superfície e da mineralização da água subterrânea, algumas plantas e mais de 800 espécies de animais – pássaros, anfíbios, répteis, insetos, etc. – desenvolvem-se em White Sands.


Esse deserto foi a área escolhida para os testes da primeira bomba nuclear desenvolvida pelo homem, na década de 1950.  Hoje é procurado por fotógrafos e amantes da natureza para observar o espaço, porque durante a noite proporciona uma visão do céu inacreditável!

Comments are closed.