Antes de começar a falar sobre o manejo das formigas é preciso ressaltar os benefícios trazidos por elas para o meio em que vivemos e para o ecossistema em geral. As formigas além de limparem grande parte do lixo residual das nossas cidades, têm um papel importantíssimo na aeração e fertilização do solo.
São predadoras de algumas pragas agrícolas como o bicudo-de-algodoeiro, um besouro que ataca o algodão, e ainda atuam como “plantadoras de sementes”, pois se alimentam dos fungos que surgem sobre a semente de diversos tipos de plantas que estão no chão, evitando que o fungo tome conta da semente e impeça sua germinação. Ou seja, “a formiga é um dos jardineiros incessantes da natureza”.
Algumas formigas estabelecem uma relação íntima com os pulgões. Elas são responsáveis por carregá-los de uma planta para outra e protegê-los de predadores como a famosa joaninha. Como recompensa por esta relação, alimentam-se do excremento açucarado expelido pelos pulgões.
As formigas têm um elo muito forte com o reino vegetal, onde sua função é fazer o trabalho pesado de manutenção, mas sabemos que em determinados momentos elas podem tornar-se um incômodo. Elas podem destruir nossas plantas, alimentos, plantações de frutas e até mesmo transmitir algumas doenças, quando circulam pelo lixo e em seguida sobre nossos alimentos.


Controle de formigas em áreas internas:
É muito complicado exterminar as formigas. Apenas 5% das formigas, as chamadas forrageiras, deixam o ninho em busca de comida. Se elas encontram algo muito suculento e que agrade o paladar, outras dezenas, centenas aparecem para ajudar. O restante não sai do ninho: fica trabalhando, enquanto a rainha procria.
Por isso, o mais importante na batalha é descobrir onde está o formigueiro para acabar com ele.
Estima-se que no mundo todo existam mais de 20 mil espécies deste inseto, porém apenas 30 espécies são tidas como “formigas urbanas” e aparecem nas casas e apartamentos.
As formigas acabaram se adaptando com a vida nas residências, onde encontram restos de comida, temperatura controlada e segurança de predadores. Embora o surgimento das formigas seja mais comum na época de temperaturas elevadas, elas também podem aparecer em grandes quantidades durante o outono e inverno.
O primeiro passo é a prevenção, mantenha tudo sempre limpo, evitando deixar restos de comida, nem deixar frestas e rachaduras nos pisos e azulejos, pois é nesses pequenos buracos que elas vão fazer seus ninhos. Para evitar basta tapá-los. Mantenha também todos os recipientes em potes fechados, principalmente aqueles que contêm doces.
Depois que as formigas já se instalaram na sua casa, basta encontrar seu ninho. Para encontrá-lo coloque uma gota de mel sobre a pia ou algum lugar próximo delas, em pouco tempo elas vão formar uma trilha que levará ao ninho. Após localizado, faça uma mistura com partes iguais de água e detergente (50% água e 50% detergente), aplique a solução dentro da fresta com auxílio de uma seringa e tape o furo com silicone.
Se as formigas estiverem saindo de uma tomada, aplique um pouco de talco para bebês no local. Isso fará com que o talco grude no corpo delas sufocando-as.
Outra dica é colocar um saquinho de tule com cravo-da-índia nos locais que as formigas costumam frequentar, assim elas vão se afastar do cravo, ou distribuir cravos espetados em limões.


Controle de formigas em áreas externas:
O grande problema encontrado em áreas externas são as formigas que cortam as folhas e brotos das plantas que queremos cultivar, eliminando assim as nossas chances de obter êxito na colheita ou no cultivo de uma planta ornamental.
Para evitar essas formigas, existem algumas maneiras bem simples e efetivas para culturas pequenas e alternativas. Vale ressaltar que essas técnicas tornam-se inviáveis para grandes monoculturas.
Pode-se utilizar um recipiente de bacia em formato de anel, cheio de água com detergente ou óleo queimado, circulando a planta a ser protegida. Uma ideia sustentável é utilizar um pneu cortado ao meio para esta finalidade. É importante sempre deixar a área ao redor da árvore ou arbusto sem mato para que não funcione como uma ponte de acesso.


Existe um produto no mercado chamado limitador de formigas, pode ser encontrado com facilidade em grandes floriculturas, através da internet e em alguns casos em megastores de materiais para construção. A utilização é bastante fácil e efetiva, mas fica devendo no quesito tamanho, o qual geralmente é único.
Outra técnica bem fácil é usar um pano com graxa. Enrole um pedaço de pano no tronco que deseja proteger, amarre bem, em seguida adicione a graxa ao pano amarrado, assim elas se afastarão pois toda vez que tentarem subir acabarão grudadas na graxa.
Existem também algumas plantas que são repelentes naturais como o alho, cebolinha verde, coentro, lavanda, losna e menta, os quais costumam ser bastante eficazes. Deve-se plantar ao redor do canteiro todo.
A utilização do gergelim e do agave como agente químico é também bastante recomendado. As formigas coletam as folhas e sementes e levam para dentro de um compartimento especial dentro do formigueiro, lá iniciam o cultivo de fungos sobre essas folhas e sementes para se alimentar dos fungos. A semente de gergelim e o agave são tóxicos para esses fungos, ou seja, sem fungo, sem formigas. Uma dica importante é nunca colocar diretamente na entrada do formigueiro e sim ao lado do caminho das formigas.


Outra forma interessante de proteger suas plantas de formigas cortadeiras é com um repelente à base de pimenta. Não se deve usar inseticida em spray, pois, ao invés de exterminá-las, o produto fragmenta as colônias e favorece a criação de mais ninhos.
O método mais eficiente é ainda a isca. Existem iscas certas para cada tipo de formiga, as formigas têm hábitos alimentares diferentes, portanto, se a isca não for atrativa para ela, o combate não será eficiente. As iscas devem ser espalhadas pela casa, em todos os locais em que forem identificados caminhos de formigas. Elas devem ser trocadas regularmente para que as formigas sejam realmente exterminadas. Elas carregam o veneno até o seu ninho e contaminam as companheiras. Nas primeiras aplicações das iscas, cerca de 90% delas morrem.
Sabemos que a sociedade das formigas, além de complexa, é muito importante para a natureza, devemos sempre ter em mente isto antes de tirar a vida de uma formiga.

Comments are closed.